• Ana Luiza Noronha

Você tem que assistir a série de viagem do Zac Efron

É isso mesmo que você leu. A nova série do astro norte-americano tem seus defeitos, mas traz reflexões importantes.

Zac Efron, artista teen, estrela da “clássica” trilogia "High School Musical" e um já não tão jovem californiano. Seu parceiro, Darin Olien, também californiano, é o estereótipo de guru de comidas naturais e parece aquele coach que reviramos os olhos quando ouvimos falar. Tinha tudo para dar errado.


Os dois estrelam a nova série documental de viagem da Netflix “Curta Essa com Zac Efron”. A princípio, a tradução não faz jus ao plot da série; não é uma obra sobre um ator famoso “forçado” a viajar pelo mundo curtindo muito.


Reprodução/Netflix

Na verdade, título original é “Down To Earth with Zac Efron”, que, em tradução livre, seria o Zac Efron “colocando os pés no chão”. O ex-astro adolescente conheceu Olien por meio de um podcast e, a partir daí, quis mudar o seu estilo de vida. Os patrocínios vieram e, em 2018, os dois partiram para encontrar “soluções inovadores para problemas antigos”, como repetem ao longo do programa.


Vemos nessa série um lado do Zac que poucos conhecem. É um jovem adulto, que viveu uma vida de fama e extravagâncias, mas partiu numa jornada para encontrar um propósito maior.


Como a internet gosta de listas, venho aqui apresentar cinco motivos para assistir a essa série cheia de patrocinadores, merchandising, mas que consegue apresentar com leveza assuntos relevantes ao público, especialmente aos norte-americanos que só olham para o próprio umbigo.


1. As pessoas mudam, se elas quiserem


Como eu disse antes, o Zac Efron é o típico homem, branco, rico. Sabe aquele cara na festa que vai ficar parado ao lado do seu combo? Porém, surpreende a curiosidade, a falta de conhecimento e a autêntica vontade de aprender que o ator apresenta na série.

Eu sou uma otimista e acredito na importância das ações individuais para que o mundo melhore. E confesso que ver uma estrela de Hollywood não saber de muitas coisas apresentadas nas viagens, assusta.


Mas é importante e humilde que ele assuma a posição de “sem conhecimento” para mostrar que quer mudar. Afinal, são essas pessoas que influenciam a maior parte dos jovens adultos. Talvez com o Zac falando, aprendendo e não tendo vergonha de perguntar, muitos outros comecem a fazer o mesmo.


2. Não tenha medo de perguntar


As questões que envolvem o meio-ambiente e alimentação são fluídas e rápidas: novas tecnologias, descobertas e estudos. Mas acredito que as pessoas não questionem o suficiente. Não nos perguntamos de onde vem a água que tomamos, a fruta cortada e embalada na estante do mercado, e se a pessoa que produz nossa roupa recebe um salário justo.

São tantos questionamentos que deveríamos fazer. Não sei se nos sentimos sobrecarregados com tanta informação, se temos medo de parecer burros ou se simplesmente preferimos viver na ignorância. Afinal, a ignorância é uma benção.


E esses questionamentos são o ponto mais importante da série. Darin é um profundo conhecedor desses assuntos e contrasta com Zac Efron, que está ali para aprender - e quer aprender. Isso é lindo. Para mim, a vontade de aprender e mudar, apesar de todos os erros, é o que faz de você uma pessoa evoluída. Afinal, ninguém tem todas as respostas se as perguntas vivem mudando.


Reprodução/Netflix

3. A importância dos alimentos


Zac Efron parece mais saudável do que nunca. Está com um corpo normal, musculoso, mas não aquele em que as veias parecem saltar para fora da pele. Diferente daquele das dietas hiperproteicas de academia.


E isso é uma influência direta de Darin, apaixonado por comidas, vegano e que estuda alimentos, vitaminas e suas composições.


Em todos os episódios eles comem em restaurantes de chefs - provavelmente muito caros - mas com todos os alimentos locais. Nesse sentido, quando vemos eles se surpreenderem com algumas comidas, percebemos como a alimentação nos EUA é limitada.


Acabamos gratos por vivermos em um país com uma diversidade de alimentos grande, com uma cultura de alimentação de produtos frescos. Imagina você não saber o que é um mamão! Somos muito privilegiados e devemos dar mais valor à nossa comida.


4. Ações locais para recuperar localmente


Em todos os episódios, a série mostra ações de populações locais para ajudar, salvar ou transformar suas comunidades.. Em Porto Rico, é a ação da prefeita para ajudar a recuperar a cidade do Furacão Irma e Maria, destacando a falta de auxílio do governo americano.


Em Paris, é o sistema de água gratuita e saudável para a cidade. Na Costa Rica, além de visitarem uma vilarejo autossuficiente, visitam um refúgio de vida selvagem. Eles dão visibilidade a projetos importantes. Às vezes, isso já o suficiente.


5. Tem muita coisa errada no mundo, mas ainda dá tempo de mudar


O último episódio é em Iquitos, onde exploram a floresta amazônica e experimentam a Ayahuasca. No meio da floresta, os dois aproveitam as frutas locais, como o “camu camu”, uma fruta rica em vitamina C e a favorita de Darin. Sem sinal de telefone, eles não têm noção dos efeitos dos incêndios da Califórnia em 2018.

Quando voltam à cidade, Darin descobre que foi afetado diretamente por eles. Ao fim do episódio, se mostra abalado, mas feliz por estar fazendo esse programa, principalmente nessa situação.


O planeta Terra está nos avisando cada vez mais que nossas ações precisam mudar. É comum que a maioria das pessoas acreditem em grandes atos, mas o programa deixa claro que mudanças dentro da sua comunidade, da sua casa, da sua vida, já ajudam bastante. Imagina se todos só mudassem um pouco dentro da própria casa?

Reprodução/Netflix

Entretenimento que impacta


“Down To Earth with Zac Efron” está longe de ser um programa perfeito. São patrocinadores gigantes, como os hotéis Hilton que abrigam os dois, o que nos faz sentir falta de uma hospedagem em hotéis locais, além de contarem com o conforto dos celulares patrocinados e apoio de companhias aéreas.


O que faz a série valer a pena e comover é o olhar de Zac Efron, tentando entender tudo o que estava acontecendo e fazendo piadinhas péssimas ao longo do caminho.


É uma série leve, divertida e que traz assuntos importantes à tona para o público, em parte alienado.. Assista e depois me xinga ou concorda comigo aqui embaixo!


Think!

  • Facebook
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

© 2020 by Think! Proudly created with Wix.com

Think! Newsletter

  • Instagram - Black Circle