• Equipe Think

MONITOR DA THINK: A semana passada hoje

Reunimos em um só lugar tudo o que você precisa saber para ficar bem informado

Atores políticos em movimento, vacinas, queimadas no Pantanal, um novo presidente no Supremo Tribunal Federal (STF), e pessoas de volta às ruas em meio à pandemia do coronavírus, que continua matando centenas de vidas por dia no país. A semana foi cheia, e trazemos aqui tudo o que você precisa saber para ficar em dia.


Política Nacional


Novo comando no Supremo

Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil


O ministro Luiz Fux assumiu a presidência do STF no lugar de Dias Toffoli, que comandou a mais alta Corte do país nos últimos dois anos.


É um movimento importante porque pode significar uma guinada na atuação do tribunal diante da crise institucional que, frequentemente, vem colocando o Executivo e o Legislativo em lados opostos. A gestão de Toffoli foi marcada por uma política de apaziguamento, no que os críticos do ministro afirmaram ser uma politização excessiva do Supremo. Outros apontam que a atuação foi necessária no contexto de evitar um aprofundamento da crise institucional na Esplanada dos Ministérios.


Com Fux, isso deve mudar, já que ele é o completo oposto de Toffoli. Em seu discurso de posse, sinalizou maior independência do Supremo em relação aos demais Poderes, e ressaltou o combate à corrupção. Ele é ávido defensor da Operação Lava Jato quando esta se envolve em polêmicas (o que tem sido frequente) e considerado rigoroso em matéria penal - outro ponto dissonante de seu antecessor: foi na gestão de Toffoli que a Lava Jato sofreu sua maior derrota (dentro de uma série de derrotas) com a derrubada da prisão após condenação em segunda instância.


Congresso desacelera


Enquanto isso, o Congresso Nacional passa a desacelerar conforme se aproximam as eleições municipais. Políticos voltam a atenção (de repente, tensão também) às suas bases para reforçar as articulações para o pleito, considerado essencial para as eleições nacionais, em 2022. Nos bastidores, continua a indefinição sobre a reeleição no comando da Câmara dos Deputados e no Senado.


Tanto Davi Alcolumbre (DEM-AP) quanto Rodrigo Maia (DEM-RJ) se articulam para viabilizar suas respectivas reeleições. A recondução à Presidência para ambas as casas, na mesma legislatura, é vetada pela Constituição Federal. Não há consenso político no Congresso para a reeleição dos dois, mas aqueles favoráveis argumentam que os demistas contribuem para dar estabilidade em meio aos arroubos do governo.


Notículas


Bolsonaro e sexualidade - O presidente abandonou as declarações no cercadinho do Palácio da Alvorada e não tem dado mais entrevistas. Mas as Lives continuam e, nesta semana, protagonizou mais uma polêmica ao fazer uma piada de cunho sexual diante de uma criança.


Bolsonaro e campanha - Ele também tem intensificado agendas públicas já de olho em 2022. Nesta semana, aproveitou para falar com apoiadores durante o 7 de setembro. Claro, sem usar máscara.


Renda Brasil - Segundo o Estadão, o governo articula um movimento para tentar colocar na PEC do pacto federativo a criação do programa de renda que pode substituir o Bolsa Família e outros benefícios sociais. O problema é encontrar a fonte de dinheiro para isso.


Saúde


Coyot/Pixabay


O Brasil entra no sexto mês de pandemia do coronavírus com um saldo muito negativo. Até a publicação desta matéria, foram mais de 4,3 milhões de infectados e mais de 131 mil mortes no país, segundo o Ministério da Saúde.


Redução


Na sexta-feira (11), o consórcio de veículos de imprensa que analisa os dados da Covid-19 informou uma redução na média móvel de mortes por conta da doença. O Brasil completou um mês com diminuição em relação ao patamar de 1 mil mortes por dia, nessa comparação.


Vacinas


Neste meio tempo, os testes da vacina conduzidos pela Universidade de Oxford foram retomados, após uma semana suspensas. Aqui no Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o retorno dos testes.


O governador de São Paulo, João Dória (PSDB), voltou a cobrar apoio do governo federal para acelerar os testes com a vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan, de origem chinesa. Jair Bolsonaro é adversário do tucano e já chegou a classificar a vacina dos chineses como “a vacina daquele outro país”. O governo federal aposta na vacina da Oxford.


Meio ambiente


João Paulo Guimarães/Repórter Brasil


Os incêndios no Pantanal completam dois meses. Até setembro, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) detectou mais de 12 mil focos ativos de incêndios, o maior número desde 1998. São as piores queimadas registradas na história e atingem mais de 15% de todo o bioma, segundo levantamento do SOS Pantanal.


Na Amazônia, o cenário de queimadas continua. A temporada do fogo neste ano poderá ser uma das maiores desde 1998, quando teve início a série histórica do Inpe.


Em ambos os casos, autoridades atribuem a intensificação do período como decorrentes da ação humana, por meio de incêndios ilegais, assim como pela mudança climática.

Responsabilidade


O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, pediu mais verbas para combater os incêndios. Segundo o Estadão, enviou um ofício ao Ministério da Economia nesta semana para destinar R$ 134 milhões ao combate às queimadas.


Ao mesmo tempo, Salles e o vice-presidente Hamilton Mourão reproduziram nas redes sociais um vídeo mostrando que a Amazônia não pega fogo. Acontece que o vídeo mostra cenas da Mata Atlântica e não só da maior floresta tropical do mundo. O vídeo foi retirado do ar por infringir direitos autorais.


Em meio a esse cenário, Salles optou por voltar às redes sociais para criticar o ator Leonardo DiCaprio, notável militante do meio ambiente e dono da ONG Earth Alliance. O norte-americano havia criticado a atuação do governo frente às queimadas e o ministro o convidou para doar recursos para o combate às queimadas: “Você vai pôr seu dinheiro onde está sua boca?”.


A atuação do governo federal em relação à Amazônia repercutem no cenário internacional desde o ano passado e, inclusive, podem ter repercussões econômicas. O governo alemão afirmou, em agosto, que a falta de comprometimento do governo pode ser um empecilho para aprovação do acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia.


#Trending

Reprodução/Instagram


Bombou na semana as fofocas sobre Whindersson Nunes e Luísa Sonza. Ninguém sabe ao certo o que aconteceu, mas pode ser que ele tenha sido traído com o atual namorado da celebridade, o cantor Vitão.


A Netflix causou polêmica devido a um filme francês que, supostamente, sexualiza crianças. Uma campanha de cancelamento está em curso, mas há quem afirme que o filme Cuties (2020), ainda não lançado no Brasil, é uma crítica e não uma romantização. Veremos quando, e se, for disponibilizado neste país.


Aparentemente, o ator norte-americano Chris Evans postou nudes por engano no Twitter. Calma. Ele já deletou as imagens. No Brasil, a cantora gospel Ana Paula Valadão causou revolta (com razão) nos internautas ao afirmar que a Aids é uma consequência da homossexualidade.


A 12ª edição de A Fazenda, um reality show de subcelebridades, prometeu descer o nível em rede nacional - e conseguiu. Um rapaz chamado Biel - classificado como “cantor” - cometeu uma sequência de ações nonsense: deu um tapa no pênis de um colega e, não satisfeito, abaixou as calças de um outro colega que estava dormindo. Há uma movimentação dos interwebers para removê-lo do programa. Outra que causou polêmica: Jojo Todynho esfregou o rosto do companheiro de confinamento, JP Gadêlha (o mesmo que levou o tapa no pênis), em seus seios à força.


Notículas


Netflix - Polêmicas à parte, a maior plataforma de streaming do planeta chega com novos lançamentos. Entre os mais aguardados (por nós da Think) estão: O Diabo de Cada Dia (16), Remédio Amargo (16), a série de terror Ratched (18) e Elona Holmes (23).


Oscar - A Academia alterou seus critérios de seleção para nomeação de filmes na premiação. Agora, as produções terão que cumprir requisitos para aumentar a representatividade em toda a cadeira de produção de uma obra.


Tenet - O novo filme de Christopher Nolan, que conta com o ex-vampiro que brilha Robert Pattison (se tornou um ótimo ator, é verdade), teve um tímido desempenho nas bilheterias norte-americanas, mas não desapontou no restante do mundo. Nos EUA, arrecadou US$ 29,5 milhões, mas chegou a US$ 200 milhões globalmente.


Think!

  • Facebook
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

© 2020 by Think! Proudly created with Wix.com

Think! Newsletter

  • Instagram - Black Circle