• Ana Luiza Noronha

Caminhos do jornalismo: onde e com o que os jornalistas trabalham

Apresentamos um resumo dos principais locais de trabalho e as principais áreas de trabalho dos jornalistas.

O curso de jornalismo oferece diversos caminhos para os formados. Isso pode ser bom ou causar uma confusão na cabeça. Nesse texto, vamos fazer um resumo do que os estudantes de jornalismo podem esperar de cada área da profissão de jornalista.


Se você quer correr atrás de notícias e trabalhar como repórter, poderá encontrar oportunidades em jornais, revistas, televisão, agências de notícia, e rádio, por exemplo. Um setor importante para ficar de olho é de portais digitais e de mídias sociais, que também pode ser exercido por formandos em publicidade.


The Climate Reality Project/Unsplash


Mas, se seu lance for auxiliar a imprensa, defender interesses de clientes, empresas e órgãos públicos, poderá ter chances de trabalhar com comunicação institucional, Relações Públicas e assessoria de comunicação.


Dentro do jornalismo, são muitas as áreas e assuntos que podem ser abordados. Você pode se tornar um profissional “coringa”, que cobre diversos assuntos, ou se especializar em alguma área específica. Conheça a seguir as áreas que os jornalistas podem trabalhar:


  • Correspondente internacional ou de guerra

  • Repórter

  • Jornalista de dados

  • Social Media

  • Checagem de fatos

  • Fotojornalista

  • Colunista

  • Produtor

  • Editor

  • Redator


Jornal


É a escola mais tradicional dentro do jornalismo, apesar de estar perdendo força. A redação de um jornal é um local barulhento, corrido, mas é o lugar para ver como uma notícia é produzida. Na redação você vai interagir diretamente com o editor da seção que você atuar, com o editor-chefe em reuniões gerais e com seus colegas de trabalho.


Os editores são responsáveis por escolher as pautas que vão entrar no jornal e editar o texto de todos os repórteres para torná-los publicáveis e verificar se estão alinhados com as diretrizes do jornal.


Normalmente, os jornais são diários e as reportagens são apuradas, escritas, editadas, revisadas e publicadas no mesmo dia.


Revista


Diferente dos jornais, as redações das revistas são mais calmas. É essencial para as revistas que as reportagens sejam especiais e busquem aprofundar algum assunto.


As revistas têm edições semanais, quinzenais ou mensais e elas podem abordar assuntos diversos, ou serem voltadas a um segmento específico, como turismo, tecnologia, moda, entre outros.


Há também um cuidado visual maior com a revista, por meio de uso de fotos mais atraentes, artes e ilustrações.


Portais de notícias


As redações dos portais de notícias funcionam de uma forma muito parecida que a dos jornais, mas são ainda mais aceleradas. Por ser online, existe uma urgência de publicar a notícia antes de outros portais. O “furo”, como os jornalistas chamam, é essencial para os portais de notícia.


Não existe apenas a preocupação de produzir notícias, mas também com o posicionamento do site nas ferramentas de pesquisas. Assim, os textos precisam de seguir algumas regras de SEO e uma linguagem mais adequada ao mundo online.


Televisão


Nos telejornais, a equipe de reportagem conta com o apoio da produção para fazer sua matéria. Os produtores vão entrar em contato com fontes e personagens, além de reunir dados e informações.


Após o trabalho dos produtores, o repórter vai para a rua com o cinegrafista e assistentes para gravar a matéria.

Essa matéria vai passar pelo editor de vídeo, depois para os editores de cada seção do jornal e chefe de redação para organizar como o jornal vai ficar. No fim, o apresentador entra ao vivo e os âncoras apresentam as notícias.


Rádio


A redação do rádio tem muitas semelhanças à da televisão, mas é um pouco mais simples. Os produtores também trabalham organizando a pauta, pensam em roteiros e agendam entrevistas. Os repórteres vão atrás das reportagens e o redator escreve o texto para ser lido na hora de gravar a matéria, além das figuras do editor e apresentador do programa.


Comunicação Institucional


Quando o jornalista trabalha dentro de uma empresa em parceria com o departamento de Relações Públicas. Não é um assessor de imprensa, mas dependendo do tamanho da empresa, pode exercer os dois papéis.


O profissional dessa área vai cuidar da imagem da empresa para os seus colaboradores (comunicação interna) e consumidores e sociedade (comunicação externa).


O jornalista vai produzir conteúdo para o material de comunicação da empresa. Isso inclui, normalmente, jornais e revistas internos, folders, anuários, produção de conteúdo para o site e redes sociais da empresa. Além de poder fazer a cobertura de eventos realizados pela empresa ou que seja do seu interesse.


Assessoria de Imprensa


O jornalista que trabalha como assessor de imprensa faz o papel central entre o cliente e a imprensa. Sendo assim, o assessor é o porta-voz do cliente, podendo ser uma empresa, uma personalidade, políticos, partidos políticos ou uma Organização Não Governamental (ONG).


O assessor vai elaborar estratégias para divulgar e cuidar da imagem do cliente. Além de produzir releases, textos em forma de reportagem que divulgam algo realizado pelo cliente, o assessor também vai acompanhar tudo o que é noticiado sobre o cliente e agendar entrevistas.


É uma profissão essencial para as empresas, personalidades e ONGs, pois o jornalista vai prever oportunidades de divulgação e evitar (ou reverter) situações de risco para a imagem do seu cliente.


Agência de notícias


Essas são as empresas que fornecem notícias aos veículos. As informações disponibilizadas pelas agências não são pensadas para serem consumidas pelo público geral, mas sim por veículos de comunicação.


As agências possuem um número alto de correspondentes pelo mundo. Esses vão fazer o trabalho de repórter, apurando as notícias localmente e enviando para agência. Por sua vez, a agência irá disponibilizar essas notícias e vender para os jornais, telejornais, etc.


Áreas de cobertura


Em cada lugar que o jornalista trabalha, ele vai exercer um papel diferente do outro. É importante ressaltar que as divisões de seções dos jornais nem sempre são as mesmas e variam entre cada veículo.


Veja a seguir algumas das áreas que o jornalista pode atuar:


Correspondente de guerra


Essa, talvez, seja a área mais perigosa do jornalismo. Dentro dela, o profissional vai se especializar na cobertura de conflitos, que podem acontecer tanto no exterior quanto no nosso país.


A cobertura de conflitos exige sangue frio e rapidez, além de grande sensibilidade e olhar para as regiões que sofrem com tensões e violência.


Correspondente internacional


São colaboradores que levam a informações que ocorrem no exterior para o público. O profissional acaba fazendo a cobertura de assuntos relacionados a regiões análogas também. Um jornalista que trabalha em Londres pode ter de cobrir assuntos relacionados a todo continente europeu, por exemplo.


Nesse papel, o jornalista vai cobrir eventos esportivos, acontecimentos políticos, efeitos econômicos, entretenimento, enfim, tudo que for relacionado àquela região ou país.


Repórter


Dentro da redação, é quem é responsável por apurar a matéria, entrevistar especialistas ou pessoas para ilustrar aquela matéria.


O profissional terá uma editoria específica para trabalhar, chamado de setorista (responsável por um setor específico), mas pode ser aproveitado na cobertura de outros assuntos quando precisar.


Há diversas áreas que são cobertas pelos veículos. As mais disputadas são as editorias de política e economia, por terem informações de impacto nacional e que também possuem ramificações regionais e municipais. Você pode trabalhar também cobrindo as novas tendências da moda, saúde, entretenimento, política externa, por exemplo.


Hoje, muitas editorias acabaram devido à crise dos grandes veículos de imprensa. Seções como turismo e tecnologia, por exemplo, são mais difíceis de serem cobertos por meios tradicionais, mas podem ser encontrados em empresas com conteúdo segmentado, por exemplo.


Jornalismo investigativo


Esses profissionais vão fazer um trabalho mais aprofundado - e geralmente longo - sobre algum assunto relevante para o país. Fazem pesquisas aprofundadas, têm que ter contatos importantes para poder produzir uma reportagem completa e investigar todos os detalhes daquela história.


Jornalista de dados


O profissional vai elaborar um conteúdo de acordo com uma grande base de dados, fazendo levantamentos e analisando os números para encontrar uma informação.


Nesse campo, o visual é muito importante, então nas matérias de dados são utilizados infográficos para auxiliar a compreensão das informações.


Jornalista digital


É o jornalista do portal de notícia e o campo profissional com maior crescimento. O profissional vai ser responsável pela produção de conteúdos relevantes e interessantes para publicar em sites de empresa, portais de notícias ou blogs. Dentro dessa área, surge o social media, podendo ser um jornalista ou publicitário. O media vai produzir conteúdo para as redes sociais, interagindo com o público e fazendo as postagens.


Checagem de fatos


Talvez a área mais recente do jornalismo. Essa necessidade não precisava ser utilizada antes, pois os veículos de comunicação presumiam que isso estava sendo realizado já pelos repórteres e editores.

Porém, com a internet, surgiram muitas notícias falsas e surgiu a necessidade de ter um setor dedicado à checar os fatos, ou seja, confirmar se aquela informação é verdadeira ou não. Esse mercado tem crescido muito nos últimos anos.


Fotojornalista


O fotojornalista vai contar a história da reportagem através das fotos. O trabalho dele é semelhante ao de um repórter e muitas vezes os dois vão juntos para onde está a notícia. Enquanto o repórter faz a apuração e entrevistas, o fotojornalista tira fotos para ilustrar toda a notícia em apenas uma imagem, na maioria das vezes.


Esse profissional pode trabalhar em jornais, agências de notícias ou de fotografia. Inclusive, o melhor lugar para começar a trabalhar nessa área é nas agências.


Não faltam assuntos


Essas foram as principais áreas de atuação dentro do jornalismo. Claro que no começo da profissão, não será possível escolher qual a área você quer trabalhar, mas com o tempo, são opções que podem te incentivar a se especializar e acabar aumentando seu valor como profissional.


Se esse texto te ajudou a direcionar melhor a sua carreira de jornalismo, compartilhe com seus amigos e comenta aqui embaixo!


Think!

  • Facebook
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

© 2020 by Think! Proudly created with Wix.com

Think! Newsletter

  • Instagram - Black Circle